Encontro com a ilustradora Sandra Serra

cartaz

Nos dias 21 e 22 de novembro de 2019, o Centro Escolar do Búzio terá o privilégio de receber a ilustradora Sandra Serra. Professores e alunos preparam-se para estes encontros e ateliês com grande expectativa.

Avaliação do encontro com a ilustradora Sandra Serra

sandraCaros professores,

A equipa da BiBu solicita a vossa colaboração no preenchimento do questionário pelos alunos e professores sobre o encontro com a ilustradora Sandra Serra nos dias 21 e 22 de novembro de 2019. Devem usar como recurso os tablets.

É muito simples, basta clicar aqui.
Obrigada!

O poder da ilustração

Reconhecer as histórias dos livros partindo das ilustrações foi o desafio que os alunos do Centro Escolar do Búzio enfrentaram nestas últimas semanas.

As ilustrações dos livros são frequentemente a primeira galeria de arte que as crianças conhecem. Assim sendo, os adultos devem valorizar a leitura das imagens, uma vez que são uma fonte de recursos cognitivos e emocionais para qualquer criança.

Segundo a escritora Carla Maia de Almeida, «a partir do 1º Ciclo é tempo de avançar na compreensão de uma narrativa. Graças ao equilíbrio entre pouco texto e muita ilustração, os álbuns permitem entrar com segurança no exigente mundo da leitura, sempre com o ajuda de um bom mediador adulto».

A mesma autora afirma ainda que «num álbum bem feito, tudo conta: a cor, o tipo de letra, a composição, o formato, o papel, o design… É frequente que a história comece a ser contada antes de entrar no livro propriamente dito, utilizando as guardas como introdução». Foi a descoberta que alguns alunos fizeram nos livros do “Ciclo de…”, ou seja, as ilustrações das guardas apresentavam indicações muito reveladoras sobre a história.

O Ciclo do Pão pelas Corujinhas da BiBu

pao.jpgNo Dia Mundial do Pão, a 16 de outubro, as Corujinhas desenvolveram um trabalho diferente com a sua professora. Depois de lido e explorado o livro “O Ciclo do Pão” , as Corujinhas meteram a mão à massa e fizeram o seu próprio pão.

Enquanto o pão cozia, os alunos realizaram uma ficha para analisar a história do livro. Depois pintaram, recortaram e ordenaram as imagens do ciclo do pão, sentindo o cheirinho do pão.

 

 

No final do dia, as Corujinhas puderam degustar o seu  pão quentinho, com manteiga ou doce.20191016_163318

 

Descobre quem é…

feira_livroDesafiamos todas as turmas do 1º Ciclo do CEB a pesquisar para descobrir quem é esta senhora.

O que faz? Como é o seu trabalho?

Analisa-o e dá a tua opinião.

Faz chegar as tuas respostas à BiBu para serem publicadas aqui esta semana.

A Melhor Condutora do Mundo

500_9789895578238_a_melhor_condutora_do_mundoA Melhor Condutora do Mundo

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 3º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada

No dia do seu aniversário, a avó Rita resolve convidar o Artur, um dos seus netos, para um passeio de carro. Levantam-se cedinho e metem-se a caminho. Enquanto guia, a avó Rita faz questão de pôr o seu neto a par das regras de trânsito e fala-lhe da importância da segurança rodoviária. As belíssimas ilustrações de Sandra Serra complementam esta história simples, mas muito atual e elucidativa, de António Mota, ajudando à sua compreensão. Os acidentes rodoviários são a principal causa de morte infantil em Portugal. Excesso de velocidade, fadiga, álcool, falta do cinto de segurança ou do capacete, manobras perigosas, etc. — todos os estudos apontam para o comportamento dos condutores como a principal causa de acidentes mortais. Prevenir é a palavra de ordem e ninguém pode deixar de dar o seu contributo para tornar as estradas mais seguras. A segurança rodoviária diz respeito a todos os cidadãos, mas só com jovens mais informados, recetivos e mobilizados para esta causa poderemos pensar num futuro com “melhores condutores”.

Este livro encontra-se esgotado e só será reeditado em 2020.

A Pior Amiga

500_9789895577132_a_pior_amigaA Pior Amiga

Uma menina em idade escolar. Um pai desempregado. Uma família com carências económicas. Este é o ponto de partida para uma história em que Fernando Carvalho aborda o tema da exclusão social com pertinência. Sem Playstation, sem telemóvel, impedida de ir às aulas de natação e de comprar roupas de marca, a menina é posta à margem do seu grupo de amigos. Para sobreviver, mente aos colegas e aos pais. Por fim, descobre que tem de ter coragem para enfrentar tudo e todos e mostrar-se como realmente é. Sem complexos nem influências exteriores. O homem é um ser social. Vive de acordo com as regras que vigoram nos grupos em que está integrado. Perceber o “outro”, ou os “outros”, é uma condição fundamental para viver em harmonia com as pessoas que o rodeiam. É esta noção de “interação social” bem-sucedida que deve ser apreendida pelos jovens. A questão que se coloca é a premência do jovem ser “bem recebido” e, pelas suas atitudes e comportamentos, valorizar o grupo; por outro lado, é importante realçar o sentimento de “segurança”, de “pertença”, que o grupo pode transmitir ao jovem, permitindo-lhe expressar todas as suas qualidades humanas.

Os Direitos Vão à Escola

O livro Os Direitos Vão à Escola, escrito por Celeste de Almeida Gonçalves e ilustrado por Sandra Serra, parte do texto da Declaração Universal dos Direitos da Criança e da Declaração Universal dos Direitos da Criança. Através das ilustrações apelativas, a obra aborda a ida dos direitos da criança à escola, aparecendo cada um deles personificado por crianças.

500_9789722066457_os_direitos_vao_a_escolaOs Direitos vão à Escola

Certo dia, a turma do Manuel recebe uns visitantes muito especiais.
Surpreendidos e entusiasmados, meninos e meninas vivem momentos inesquecíveis e escutam palavras poderosas, que guardarão como um tesouro dentro de si. Partindo do texto da Declaração Universal dos Direitos da Criança e da Convenção Sobre os Direitos da Criança, este livro convida-te à descoberta dos teus direitos, contribuindo para a divulgação, para o debate e para a reflexão sobre os mesmos.
Aguarda-te a leitura emocionante de um livro repleto de maravilhosas ilustrações.
Conhecer os teus direitos será um verdadeiro prazer!

Através da visualização do booktrailer Os Direitos Vão à Escola, produzido pela Editora Leya, poderemos fazer uma primeira abordagem ao livro recorrendo somente às imagens e à sua animação. Partindo dessas imagens, os pequenos leitores podem inquirir-se sobre possíveis direitos que eles próprios deverão conhecer. As primeiras palavras que surgem escritas são “Direitos da criança”. Quase no final do vídeo, emergem as palavras “tráfico”, “exploração”, “emprego” e “abusos”. Que relação podemos estabelecer entre estes vocábulos e as crianças? Ao terminar, aparecem os termos “dignidade”, “amizade”, “justiça”, “tolerância”, “fraternidade”, “solidariedade” e “compreensão”. Que relação podemos estabelecer entre estes dois grupos de palavras?

Proposta de atividade (para professores)

Tendo por base os dez direitos enunciados no livro, entregar um marcador de livro a cada par de alunos com um dos direitos escritos. Depois de todos os terem lido em voz alta, visualizar o vídeo pela segunda vez. As crianças identificam todos os direitos que leram através das imagens que surgem.

Para obter mais informação sobre o livro Os Direitos Vão à Escola, veja a entrevista com a autora Celeste de Almeida Gonçalves, na SIC Mulher.

‘O Meu Amigo Zeca Tum-Tum’ & ‘A Namorada Japonesa do Meu Avô’

Em março de 2018, o nosso público infantil contactou essencialmente com a poesia de José Fanha na BiBu. Desta vez, terá o prazer de conhecer alguns dos seus textos em prosa, ilustrados por Sandra Serra. Os temas abordados são muito atuais e privilegiam a comunicação entre diferentes gerações, sobretudo em A Namorada Japonesa do Meu Avô, cuja leitura deve ser estimulada em todos os alunos do 4º ano. No manual dos nossos alunos há um excerto deste livro, a não perder!

500_9789895577675_o_meu_amigo_zeca_tumtumO Meu Amigo Zeca Tum-Tum

«E tudo começou num grande encontrão. A minha história e a do Zeca começou assim mas antes de terminar muita coisa vai acontecer porque a minha escola é um mundo onde habitam alunos muito diferentes, eu, o Zeca, o Pirapóra, o Tiago Ping-Pong, a Maria Sarabandovitch e os outros, muitos outros, todos diferentes e todos iguais…» uma história fantástica cheia de voltas e reviravoltas onde José Fanha nos conta, como só ele sabe fazer, uma história que se podia passar em qualquer escola do nosso país. Com a globalização e as suas implicações raciais, culturais e socioeconómicas, a interculturalidade ganhou uma dimensão acrescida e tem na Escola e nos seus agentes um meio efetivo de aplicação. O que se pretende transmitir é a necessidade de uma sociedade sem “diferenças”, onde haja espaço para todos, sem qualquer tipo de discriminação. Com “O Meu Amigo Zeca Tum-Tum”, conceitos como igualdade, tolerância ou cidadania global deixam de ser abstracções para os jovens — são realidades que eles conhecem de todos os dias.

500_9789895579204_a_namorada_japonesa_do_meu_avoA Namorada Japonesa do Meu Avô

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 4º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma

Numa escrita repleta de afetos, José Fanha apresenta-nos o seu livro A Namorada Japonesa do Meu Avô.
Fala-nos de um tempo em que já não há lugar para o croché, para o jogo de cartas e bordados… Hoje, as pessoas com mais de 60 anos encontram motivos para aderir às redes sociais nas páginas do Facebook, na Internet, etc.
O principal objetivo é manter contacto com os amigos, familiares, fazer novos amigos, fugir à solidão, enfim, comunicar com o mundo inteiro!
«O avô lá mudou a fotografia do Facebook e alguns dias depois estava super feliz e entrou-me pelo quarto dentro estava eu a estudar para o teste de Geografia do dia seguinte.
— Agora sim! Agora é que isto vai para a frente!
Devo dizer que estas súbitas alegrias do avô Jaime começavam a deixar-me preocupado. Atrás de uma alegria vinha, muitas vezes, algum disparate…
— Arranjei uma namorada, Zezinho!