Cadelas de assistência apresentam-se aos alunos no CEB

O grupo de Educação Especial, no âmbito do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, promoveu no dia 28 de novembro, no Centro Escolar do Búzio, uma atividade direcionada para os alunos do 4º ano de escolaridade intitulada “Ânimas”. Esta iniciativa foi dinamizada pela Associação ÂNIMAS — Associação Portuguesa para a Intervenção com Animais de Ajuda Social, que trouxe consigo três cadelas que nos presentearam com algumas demonstrações e habilidades, após algum treino pelos seus tratadores. Estes cães de assistência são individualmente educados para mais tarde realizarem tarefas que aumentem a autonomia e a funcionalidade da pessoa com deficiência: incapacidades motoras, incapacidades auditivas e autismo.

Assim, esta comunidade escolar pretende mostrar que a escola é feita com todos e para todos e está sempre aberta àqueles que queiram enriquecer com os seus mais diversos saberes e experiências de vida.

Autores do texto: Professores Vitor Ribeiro e Susana Roque

Miúdos a votos 2019–2020

como-inscrevo-a-minha-escola-na-iniciativa-miudos-a-votos-2-1024x626.png

Já estão apurados os livros que vão a eleições a 17 de março!

Alguma vez tiveste oportunidade de, através do voto, dares a tua opinião sobre um assunto? Pois vais poder fazê-lo a 17 de março de 2020, na tua escola que participa em «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», uma iniciativa da VISÃO Júnior e da Rede de Bibliotecas Escolares.

Os candidatos a estas eleições não são partidos nem pessoas, mas sim livros. E como são escolhidos?, estarás tu a perguntar. Alunos e alunas de mais de 783 escolas que já se inscreveram nesta iniciativa enviaram-nos os títulos que mais gostaram de ler até hoje. Essas propostas foram contabilizadas por uma instituição chamada Pordata e os livros que receberam mais nomeações integram as listas que vão à votação nacional.

Foram 30 409 os alunos que apresentaram os seus livros preferidos como candidatos às eleições de «Miúdos a Votos». Os livros que obtiveram mais de 50 nomeações no 1º ciclo foram estes:

1-ciclo.jpg

Livros infantis de Fernanda Botelho

Aqui estão os três livros infantis de Fernanda Botelho que serão analisados nas aulas das turmas do 2º ano e 4ºJ. Estes alunos terão o privilégio de um encontro com a autora Fernanda Botelho, a qual certamente lhes falará sobre as suas duas grandes paixões: plantas e livros. A Biblioteca disponibiliza os livros.

Dia 6 de dezembro, 14h e 15h30, na BiBu, CEB

capa_saladadeflores_150dpi.jpg

SementesÀSolta.jpghortasaromaticas.jpg

Workshop de desenho com professores

Sandra Serra aceitou o desafio lançado pela equipa da BiBu para orientar um workshop de desenho para professores. Como o tempo disponível era escasso, a ilustradora tentou sensibilizar os professores e educadoras para a importância das ilustrações, partilhar algumas dicas de desenho, nomeadamente ter por base as figuras geométricas na estrutura dos esqueletos.

Foram mais de duas dezenas de participantes que pelas 17 horas, depois de um dia de trabalho, quiseram aproveitar esta oportunidade. O balanço foi muito positivo. Alguns deixaram a sua avaliação por escrito, onde lemos expressões como: «Adorei»; «Muito bom!»; «Muito produtivo»; «Muito interessante e oportuno»; «Dicas e truques bem conseguidos. Sem dúvida a repetir».

SANDRA SERRA - 1

Outros participantes deixaram mensagens mais completas, das quais destacamos as seguintes:

«Participei num workshop com alunos e no workshop com professores. Ambos foram esclarecedores e ajudaram a desfazer algumas ideias predefinidas em relação à capacidade para desenhar. Gostaria muito de ter mais oportunidades como esta no Agrupamento. E penso que esta é uma área bastante negligenciada na prática docente, por parte dos professores, principalmente por não terem bases consolidadas em desenho, pintura… Gostei muito! Parabéns!»

SANDRA SERRA - 8

«Foi uma oportunidade ímpar para abordar uma linguagem diferente da que habitualmente ocupa o meu pensamento. As técnicas, apesar de brevemente apresentadas (o tempo era escasso…) permitiram perceber que podemos aprender TUDO! Gostava de poder fazer mais…»

SANDRA SERRA - 4

«O encontro foi ilustrativo daquilo que se passou. O tempo não foi demasiado para aquilo que a ilustradora queria. É de repetir…»

SANDRA SERRA - 9

«Gostei muito de participar no workshop. Aprendi alguns truques para poder desenhar, pois sempre pensei que não tinha qualquer jeito para o desenho. A Dra Sandra Serra é uma ilustradora espetacular!»

SANDRA SERRA - 5

«Tivemos a possibilidade de aprender pequenos «truques» que nos vão ajudar, a partir de agora, nos nossos desenhos.»

SANDRA SERRA - 3

«Aprendemos técnicas de desenho, foi interessante perceber que formas simples para desenhar podem dar efeitos maravilhosos.»

SANDRA SERRA - 6

«O workshop foi uma ferramenta útil para perceber coisas que são muito básicas no desenho e na expressão, que grande parte dos adultos têm muita dificuldade em apreender autonomamente.»

SANDRA SERRA - 7

«Gostei muito do workshop, pois a qualidade dos meus desenhos para mim eram um obstáculo. Aprender a desenhar parecia mais difícil do que realmente é. A ilustradora deu-nos conceitos e técnicas muito úteis que me vão ajudar, tais como fazer esboços com formas geométricas.»

Sandra Serra cativa e “contagia” crianças

Visita de Sandra Serra ao Centro Escolar do Búzio

Nos dias 21 e 22 de novembro a ilustradora Sandra Serra esteve no Centro Escolar do Búzio. Todos os alunos, desde o 1º ao 4º ano, tiveram a oportunidade de ir à BiBu para assistir a uma palestra com a ilustradora Sandra Serra.

A ilustradora falou um pouco sobre a sua história de vida. A seguir, explicou como fazia os seus desenhos, apresentando as diversas fases de um desenho. Os alunos também tiveram a possibilidade de lhe colocar questões. De salientar que a ilustradora nasceu em Angola e passou parte da sua infância no Brasil. Atualmente vive em Óbidos, onde trabalha na sua própria casa, referindo que “não precisa de relógio, porque não tem horários”.

A ilustradora, com a sua simpatia, sugeriu aos alunos um tema para eles desenharem. Os alunos começaram a desenhar e, ao mesmo tempo, Sandra Serra mostrava o seu talento e também desenhava sobre o tema.

Todos os alunos tiveram contacto com os livros da ilustradora, tendo sido alguns explorados na sala de aula. Os alunos que tiveram possibilidade compraram livros, que no final das sessões foram autografados pela ilustradora.

Foi um dia de muita agitação, mas também de muita aprendizagem e alegria.

As Corujinhas da BiBu com a professora Clara Cruzeiro

SANDRA SERRA - 4SANDRA SERRA - 5SANDRA SERRA - 6SANDRA SERRA - 7SANDRA SERRA - 8SANDRA SERRA - 9SANDRA SERRA - 10SANDRA SERRA - 11SANDRA SERRA - 12SANDRA SERRA - 13SANDRA SERRA - 14SANDRA SERRA - 15SANDRA SERRA - 16SANDRA SERRA - 17SANDRA SERRA - 18SANDRA SERRA - 19SANDRA SERRA - 20SANDRA SERRA - 21SANDRA SERRA - 22SANDRA SERRA - 23SANDRA SERRA - 24SANDRA SERRA - 25SANDRA SERRA - 26SANDRA SERRA - 27SANDRA SERRA - 28SANDRA SERRA - 29SANDRA SERRA - 30

Entrevista a Sandra Serra

Os alunos do 4º ano do Centro Escolar do Búzio pesquisaram informações sobre a obra publicada de Sandra Serra e leram alguns dos seus livros, com o objetivo de prepararem uma entrevista à ilustradora. Durante o encontro com Sandra Serra na biblioteca, algumas das questões previamente elaboradas não foram colocadas, uma vez que a ilustradora, na sua apresentação inicial, respondeu a algumas delas.

Como se sente quando ilustra um livro?
Sinto-me muito feliz! Dá-me prazer. Quando escolherem uma profissão, escolham uma coisa de que gostem. Deixa de ser trabalho a partir do momento em que gostamos do que fazemos.

O que é para si ilustrar?
Ilustrar é a minha vida! Mas gosto muito de outras coisas. Mas a ilustração é a minha forma de ver a vida. Esteja onde estiver, a ver nem que seja um buraquinho numa parede, estou a olhar e estou a ver e a imaginar um desenho nessa parede.

Qual o livro que gostou mais de ilustrar?
Isso é muito difícil de responder! Gostei de ilustrar todos os livros. Já ilustrei muitos livros. Também ilustro livros escolares, enfim…

Já ilustrou algum livro para adultos?
Não. Para adultos ainda não ilustrei. Mas fiz pequenos cartões para vender nas lojas de museus, com as ilustrações de reis e rainhas de Portugal. Também ilustrei revistas.

Em que altura decidiu ser ilustradora?
Como a desenhar em pequenina não era muito boa, não nasci com aquele dom de desenho, só para aí aos 18 anos de idade é que decidi. Primeiro queria ser veterinária, depois queria ir para turismo; sempre gostei muito de passear e um dia vi um filme e tive um “flash”! Vejam lá que coisas tão pequenas mudam a nossa vida. Vi um filme, passado em Nova Iorque, onde havia uma ilustradora (linda de morrer). Ela tinha um atelier gigante e eu disse para mim: é isto que eu quero. No secundário, gostava muito da disciplina de desenho e houve um ano em que decidi fazer trabalhos para uma data de colegas e cobrei; só que a professora não gostou nada da ideia.

Qual foi o primeiro livro que ilustrou?
Foi para uma editora que já não existe (Civilização), para a Luísa Ducla Soares. O livro ainda circula por ai.

Quanto tempo demora a ilustrar um livro?
Eu deveria demorar cerca de um mês, mas depende do tamanho do livro. Mas faço sempre o possível para que faça o trabalho em menos tempo, porque tenho contas a pagar e eu só vivo desta profissão e tenho de “dar corda aos sapatinhos”.

Atualmente, está a trabalhar nalgum projeto?
Agora estou a ilustrar manuais escolares para Angola. Cá em Portugal, está dificil. Houve uma quebra de trabalho e tivemos de procurar novos projetos. Também estou a fazer um trabalho para meninos com dificuldades de aprendizagem.

Qual foi o seu percurso académico?
Não foi famoso, devido às mudanças de país. Eu quando vim para Portugal, acabei por entrar numa área que não era de desenho. Nessa altura, entrei numa área de Humanidades e só quando cheguei ao fim do curso é que percebi que não era bem o que queria e, porque tinha uma professora que viu que eu tinha “jeito”, começou a dar-me o material que sobrava e foi aí que me lembrei que eu queria ir para desenho. Nessa altura, só existia uma faculdade de desenho e eu não consegui entrar e fui para a Escola Ar.Co, que é uma escola de artes. Mas na nossa profissão não interessa onde se tirou o curso, o que interessa é o nosso portefólio de trabalhos, em que mostramos às empresas o nosso trabalho, e se tiraste o curso na escola A, B ou C, pouco interessa. Esse foi o meu percurso académico.

Tem algum familiar ligado às artes?
É engraçada a pergunta! Sou casada e tenho dois filhos. O meu marido é pianista, um filho toca guitarra e o outro é baterista. O meu avô pintava e fazia esculturas.

Onde vai buscar a sua inspiração?
Vou buscar ao que vivo! Tenho a mania de fazer umas caminhadas muito grandes. Os Caminhos de Santiago são uma delas. Este ano fui para a região das Astúrias e todo o ambiente dessa zona também vai dar-me inspiração. Os animais, os meus filhos, tudo o que me rodeia, tudo que está à nossa volta, inspira-nos.

Desta forma, o público infantil e os adultos presentes ficaram a conhecer melhor a ilustradora Sandra Serra.

Esta entrevista foi elaborada por alunos do 4º ano e pelos Professores José Santos e Cátia Silva.

SANDRA SERRA - 7SANDRA SERRA - 1 (2)SANDRA SERRA - 2 (2)

Revelações de uma ilustradora no CEB: Sandra Serra

De país em país até Portugal
Sandra Serra nasceu em Angola há cerca de 50 anos, onde passou a sua infância até aos sete anos. A sua família teve de sair do país devido à guerra colonial. O destino foi o Brasil, onde permaneceu até aos dezoito anos de idade. Estes dois países de continentes diferentes foram muito importantes na vida da ilustradora. Foram de tal maneira importantes que ainda hoje influenciam as suas ilustrações, com destaque para as cores vivas e alegres que usa com frequência. A artista privilegia os verdes, os vermelhos e os amarelos. O calor destes países com clima tropical inspira alegria e cor. Para ela, estas cores fazem parte do seu imaginário.

O desenho na sua infância
Quando era pequena, os seus desenhos eram como os de qualquer criança da sua idade. Todos começamos a desenhar antes de começar a falar. Para desenhar bem, temos de treinar, treinar, treinar, como têm de fazer os bons futebolistas, bons dançarinos, bons músicos, etc.

O dia a dia da ilustradora
Atualmente, vive em Óbidos, perto da lagoa. Já viveu em Lisboa. Faz os seus trabalhos na companhia dos seus três cães, um gato e um papagaio. Gosta de trabalhar de pantufas, por vezes faz os primeiros traços na sua cama de rede brasileira. No entanto, a sua ferramenta principal de trabalho é o computador. Com a ajuda de um programa semelhante ao Photoshop aperfeiçoa os seus trabalhos, o que lhe permite utilizar uma infinidade de cores. Primeiro desenha a lápis, e pinta tudo com recurso ao computador. Trabalha no seu estirador, onde com a ajuda de uma mesa de luz começa a melhorar os seus esboços. Por vezes, também gosta de fazer bonecos em papel e cola. Junto dos seus amigos animais, são estes que, acabam também, por ter influência nos seus desenhos.

Do texto à ilustração do livro
Segundo Sandra Serra, muitos ilustradores desenham “o que lhes vem à cabeça”! Ela quando recebe os textos dos escritores, lê-os com muita atenção para se inspirar e criar a ilustração. Assim, quando mete mãos à obra faz o esboço e coloca o seu desenho numa mesa de vidro com luz por baixo, onde vai aperfeiçoar e fazer traços mais fortes. Depois, com a ajuda de um scanner, digitaliza o desenho e a partir daí vai fazer o restante com o computador. Utiliza um programa com muitas cores e muitos pincéis. Com a ajuda de uma mesa gráfica ligada ao computador e com uma caneta própria, tudo o que faz na mesa gráfica é visualizado no ecrã do computador. As correções são mais fáceis de fazer e permite-lhe muitas possibilidades. Inicialmente, preenche  os fundos do desenho. Depois, para dar “volume” aos desenhos, para ficarmos com a sensação de que estão a sair do desenho, intensifica com sombras as zonas mais escuras e a zona da luz fica mais clara.

Texto da autoria do 4ºano e professor José Santos

Este slideshow necessita de JavaScript.